14 de out de 2011

A História das Coisas e a Fábula do Rato

Olá, pessoal. Hoje vou postar um vídeo que gosto muito e se chama "A História das Coisas". Eu gosto de trabalhar as reflexões e idéias de maneira mais lúdica, e os vídeos são um bom meio pra isso.

De forma geral, nos mostra que nossas escolhas e omissões são responsáveis diretamente pela beleza, mas também pela destruição do mundo em que vivemos. E por isso, é a nossa consciência, nossa atitude e nossa vontade de fazer algo diferente que podem mudar aquilo que achamos errado.

Acima de tudo, nos mostra que não existem respostas fáceis nem soluções mágicas. A política como forma de promover a miséria, a corrupção e a desigualdade, é também o caminho para reverter isso tudo e construirmos relações mais sustentáveis, solidárias e justas. Seja entre nós, seja de nós com a natureza.

O vídeo é feito por uma americana, fala bastante dos EUA. Mas, logo abaixo dele, deixo a Fábula do Rato  ilustrando bem que, num mundo global, não existe essa.

Nós aqui em Araraquara podemos sim fazer a nossa parte de forma a inspirar mudanças positivas em qualquer lugar do planeta.

Espero que gostem.

Se liga, Araraquara!




Um rato, olhando pelo buraco na parede, vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Pensou logo no tipo de comida que haveria ali.
Ao descobrir que era uma ratoeira ficou aterrorizado.
Correu ao pátio da fazenda advertindo a todos:
- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa !!
A galinha disse:
- Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que isso seja um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda.
O rato foi até o porco e disse:
- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira !
- Desculpe-me Sr. Rato, disse o porco, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser orar. Fique tranqüilo que o Sr. Será lembrado nas minhas orações.
O rato dirigiu-se a vaca. E ela lhe disse:
- O que ? Uma ratoeira ? Por acaso estou em perigo? Acho que não !
Então o rato voltou para casa abatido, para encarar a ratoeira. Naquela noite ouviu-se um barulho, como o da ratoeira pegando sua vítima.
A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia pego.
No escuro, ela não viu que a ratoeira havia pego a cauda de uma cobra venenosa. E a cobra picou a mulher… O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre.
Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja de galinha. O fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal.
Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la.
Para alimentá-los, o fazendeiro matou o porco.
A mulher não melhorou e acabou morrendo.
Muita gente veio para o funeral. O fazendeiro então sacrificou a vaca, para alimentar todo aquele povo.
“Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito, lembre-se que quando há uma ratoeira na casa, toda fazenda corre risco. O problema de um é problema de todos.”

2 comentários:

Rita disse...

Achei interessante gostei
Belo texto,com certeza mesmo
O problema de um é problema de todos
Mas uma vez parabéns pelo Blog!

@ Escritora disse...

Olá Gaby,

Gostei do post, muito bom!

Já é minha seguidora com outro endereço, me siga também com seu blog.

http://escritoradeartes.blogspot.com/

Abçs e saudaçoes!