5 de jul de 2012

Memorias=Quem foi "Luiz Antônio Martinez Corrêa"


Em 1988 a Casa da Cultura de Araraquara recebeu o nome de Luiz Antônio Martinez Corrêa, mas poucos sabem de fato quem foi esse ilustre ator e diretor teatral.
Um araraquarense nascido no dia 24 de Junho de 1950, trabalhou como ator, diretor, cenógrafo e tradutor no teatro amador. Em 1970, muda-se para São Paulo, onde estreia profissionalmente, em 1972, como ator e assistente de direção em "Gracias, Señor, criação coletiva", e "As Três Irmãs",de Anton Tchekhov, ambos no Teatro Oficina, sob a direção de Jose Celso Martinez Corrêa.
Funda o Grupo Pão e Circo, onde realiza sua primeira direção, "O Casamento do Pequeno Burguês, de Bertolt Brecht, 1972, encenação que lhe vale o Prêmio Revelação da Associação Paulista de Críticos de Artes(APCA). Em 1978 com a dissolução do grupo, Luiz Antônio , parte para o trabalho individual e, em 1978, dirige "Ópera do Malandro", de Chico Buarque, com Marieta Severo, Elba Ramalho, Ary Fontoura, Maria Alice Vergueiro, Otávio Augusto, entre outros.
No espetáculo seguinte "O Percevejo", de Vladímir Maiakóvski, com um roteiro escrito a doze mãos-entre elas, Guel e Mauricio Arraes, músicas de Caetano Veloso e cenários de Helio Eichbauer, o espetáculo investe na integração entre linguagens-teatro, cinema e dança- e é premiado com o Troféu Mambembe de melhor diretor de 1981. O Percevejo participa dos festivais internacionais de Lyon e de Caen, sendo apresentado também em Paris.
Entre 1983 a 1986, Luiz Antônio é professor da Casa das Artes de Laranjeiras, a CAL, e também da Universidade do Rio de Janeiro, Uni-Rio.
Em 1987, morre brutalmente assassinado com 80 facadas na véspera de Natal em seu apartamento, motivo e intolerância e preconceito com relação a sua homossexualidade.

Direção:
  • 1972- O Casamento do Pequeno Burguês, de Bertold Brecht
  • 1972- The Brazilian Ridicolours Sound, Teatro Oficina
  • 1975- Simbad, o Marujo, Grupo Pão e Circo
  • 1975- Titus Andronicus, de William Shakespeare
  • 1976- Sai de Mim Tinhoso, de Bertold Brecht
  • 1981- O Percevejo, de Vladimir Maiakóvski
  • 1982- Leonce e Lena, de Georg Büchner
  • 1985- Theatro Musical Brazileiro - Parte I (1860/1914)
  • 1985- Ubu, de Alfred Jarry
  • 1986- Mahagonny, de Bertold Brecht e Kurt Weill
  • 1986- A Disputa, de Marivaux
  • 1987- Theatro Musical Brazileiro - Parte II (1914/1945)
  • 1987- Taniko, o Rito do Vale, de Zenchiku
Interpretação
  • 1972- Gracias, Señor
  • 1972- O Casamento do Pequeno Burguês
  • 1972- As Três Irmãs
  • 1987- Theatro Musical Brazileiro - Parte II (1914/1945)

Fontes Pesquisa:

9 comentários:

Maria Eduarda disse...

Muito legal não sabia que ele era de Araraquara.

Rita disse...

Que maravilha Gabriela postar aqui
esse ilustre que viveu aqui, adorei
saber tudo sobre ele.
Muito bom mesmo
Parabéns
Abraços
Rita!!!!

Rita disse...

Mas a tragédia foi terrivel, sobre a morte dele.. que coisa triste, muito chocante mesmo.
Foi uma pena!!!

*Escritora de Artes* disse...

Que legal, ele nasceu no dia do meu aniversário...

Abçs

Tunin disse...

Ficamos conhecendo melhor a vida do Martinez. Pena que a homofobia tem ceifado vidas de grandes talentos desta terra. Quando terá fim tudo isto? Leis enérgicas são precisas.
Abração.

Penyuluh Perikanan disse...

visit ..........
for our friendship .......

ELAINE disse...

Parabéns pelo trabalho de pesquisa! Informações muito interessantes! Obrtigada por compartilhar! Uma sexta-feira abençoada!
Um final de semana iluminado!
Abraço fraterno e carinhoso!
Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

Patrizia Dias disse...

Uma pessoa de grande valor eu lembro quando foi divulgada sua morte triste demais.

Bia Hain disse...

Oi, Gabriela! Desejo que obtenha sucesso em sua campanha, me parece uma pessoa transparente e honesta. Quanto ao código do tempo de vida do blog, eu não lembro de onde peguei, mas posso te passar sem problemas. Me manda seu e-mail no revoltaeromance@hotmail.com que eu te mando o código, ok?
Um abraço!